Você está aqui: Home / Imprensa / Notícias / Novas fronteiras agrícolas

Produtividade em destaque, São Desidério (BA) é lider entre os muncípios.

O ano passado trouxe novidades para a agricultura. A produção de milho ultrapassou a de soja e a da safrinha (a segunda safra de milho) ficou acima da de verão. É o que mostra o PAM (Produção Agrícola Municipal) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).                          

Boa parte da produção desses produtos foi influenciada pela adversidade climática em várias regiões. Mas os dados do instituto apontam um bom avanço na produção de grãos e de leguminosas fora das antigas áreas tradicionais, como Sul e Sudeste.

O importante é que o avanço vem não só em volume, mas também em produtividade. Esta acima, inclusive, das do Sul e do Sudeste. Volume e produtividade já colocam há vários anos as cidades das novas fronteiras agrícolas como líderes nacionais em renda.

Em 2012, São Desidério recolocou o oeste baiano na liderança. O município teve renda de R$ 2,3 bilhões, se consolidando na produção de algodão, que atingiu 12% do volume nacional.

O município obteve R$ 1,4 bilhão só com o algodão no ano passado, valor que representou 17% de todo o nacional, que foi de R$ 8,1 bilhões, segundo informação do IBGE.

A agricultura brasileira utilizou 69,2 milhões de hectares nas 64 culturas acompanhadas pelo IBGE. O valor total dessas culturas subiu para R$ 204 bilhões, 4,3% mais do que em 2011.

O avanço da produtividade do Centro-Oeste em relação às do Sul e do Sudeste fica evidente não só em soja e milho, mas passa também por outros produtos como alho, tomate e batata.

A produtividade do algodão foi de 3.880 quilos por hectare no Centro-Oeste, mas ficou em 3.171 no Sul e Sudeste. No caso do milho, o Centro-Oeste colheu uma média de 5.852 quilos por hectare, 17% mais do que no Sul.

Essas produtividades podem ter variações de uma região para outra devido ao clima e problemas regionais, mas o avanço tecnológico nas novas fronteiras está colocando a agricultura brasileira em um novo patamar.

Outras culturas também apontam bom ganho de produtividade no Centro-Oeste. A média de produção do tomate é de 81 toneladas nessa região 26% mais do que no Sudeste. No caso da batata-inglesa, o ganho e de 10%.


Fonte: Folha de S. Paulo

ANDEF. Avenida Roque Petroni Júnior, 850 . 19º andar . Torre Jaceru . Jardim das Acácias . CEP: 04707-000 . Tel.: 55 (11) 3087-5033 - (Mapa) Desenvolvido por UAU!LINE.