Você está aqui: Home / Imprensa / Notícias / Prejuízos com o anúncio do PARA

Segundo a Folha de S. Paulo, produtor sofre efeitos da lista da Anvisa.

&quote;

Ronaldo Tofanin, produtor de hortaliças em Jarinu, SP

 

SÃO PAULO, 29.12.11. Três semanas depois de a Anvisa divulgar a lista de produtos do Para (Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos), os produtores de hortifrútis continuam sofrendo as conseqüências nos preços.
A pesquisa mostrou o excesso ou a utilização inadequada de defensivos agrícolas na produção de frutas e de legumes. No caso do pimentão, 92% das amostras analisadas foram consideradas insatisfatórias.
Os produtores sofreram tanto com a redução da demanda como com a queda de preços. “Houve produtor que levou a mercadoria para a Ceagesp e retornou com o produto para casa”, diz Mariliza Sacrelli Soranz, presidente da Associação de Hortifruticultores de Jarinu (SP).
Perderam duas vezes, diz ela. Além de não conseguir vender grande parte da produção, receberam 50% menos pelo que foi vendido.
Os preços ainda são inferiores aos do dia da liberação da lista. O quilo do pimentão amarelo, que estava a R$ 6,40 na primeira semana deste mês na Ceagesp, recuou para R$ 4,70 no dia 21 e, ontem, estava a R$ 5,50.
O problema dessas pesquisas é que generalizam tudo, diz Soranz. “Há produtor e produtores.” Os agricultores estão se profissionalizando cada vez mais e há uma busca constante da produção com qualidade e de forma sustentável, afirma ela.
Neste momento, todos perdem, inclusive os que fazem a produção com responsabilidade, afirma a presidente da associação. “Restam ao produtor os custos das embalagens, da semente, da irrigação, do óleo diesel e do trabalho que não foi remunerado.”
Se o governo quer realmente incentivar o pequeno produtor, deveria investir na liberação e na adequação dos defensivos, afirma Soranz,
Os produtores utilizam os defensivos registrados pela própria Anvisa e estão ficando sem novas opções. O órgão governamental deveria identificar o transgressor para que toda a cadeia não seja denegrida, diz ela.

FONTE: Folha de s. Paulo/Mauro Zafalon –
mauro.zafalon@uol.com.br
Foto: Alf Ribeiro

ANDEF. Avenida Roque Petroni Júnior, 850 . 19º andar . Torre Jaceru . Jardim das Acácias . CEP: 04707-000 . Tel.: 55 (11) 3087-5033 - (Mapa) Desenvolvido por UAU!LINE.