Você está aqui: Home / Imprensa / Notícias / Secretário Arnaldo Jardim destaca o trabalho do governo paulista no controle do uso correto de defensivos

Durante evento Biocontrol Latam que ocorreu em Campinas.

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, destacou o trabalho do Governo Paulista no controle do uso correto de defensivos químicos na agricultura, durante o Biocontrol Latam 2016 – Conference & Exibition, realizado no dia 15 de novembro de 2016, em Campinas.

A aplicação de agrotóxico é uma área que desperta grande interesse da sociedade, principalmente em função da sua relação direta com alguns aspectos da sustentabilidade da agricultura, como a contaminação do ambiente, alimentos e trabalhadores, além dos custos sociais envolvidos nesse processo.

Para o secretário, quando corretamente aplicados, levando em conta as normas estabelecidas e os produtos autorizados, o uso dos defensivos é primordial para a produção agropecuária. “Não podemos prescindir desses produtos, mas precisamos sempre estar atentos para que sejam corretamente aplicados. Fazer uma agricultura em harmonia com o meio ambiente e oferecer alimentos saudáveis são duas das diretrizes do governador Geraldo Alckmin”, destacou.

Arnaldo Jardim rebateu a comparação muitas vezes feita sobre o uso desses produtos no Brasil com relação a outros países de clima diferente. Isso porque o inverno mais rigoroso, com neve, por exemplo, é capaz de minimizar as chances de ocorrência de pragas na lavoura. “Outra diferença característica do Brasil é ter uma das mais ricas biodiversidades do mundo todo e produzir, por ano, duas ou até três safras – enquanto outros países colhem apenas uma no mesmo período”, opinou.

Visando conscientizar o produtor, a Secretaria de Agricultura vem desenvolvendo um programa de treinamento voltado ao agricultor na área de tecnologia de aplicação e segurança no trabalho com agroquímicos.

A ação em tecnologia e segurança na aplicação de agrotóxicos será pioneira no teste de métodos e logísticas. O Instituto Agronômico (IAC) é o responsável pela criação e execução do projeto, que se inicia com a participação da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), mas está aberto ao ingresso de outros parceiros, que poderão ser empresas e associações.

O público-alvo é composto por professores de universidades e colégios técnicos, extensionistas e instrutores das diversas instituições envolvidas na transferência de tecnologia. “O público são pessoas que ajam como agentes multiplicadores. Para isso, dependendo do curso, precisam ter pelo menos nível técnico, mas para outros poderá ser exigido nível universitário”, afirma Ramos.

Respeito à aplicação correta de defensivos
No que diz respeito à defesa agropecuária, Arnaldo Jardim lembrou que a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) fiscaliza e pune produtores rurais ou empresas que não seguem as normas para aplicação de agroquímicos nas lavouras – o que pode acarretar prejuízos ambientais e males à saúde humana e dos rebanhos (saiba mais aqui).

Para a Defesa Agropecuária autuar a incorreta aplicação desses produtos, é preciso que o caso seja denunciado. A pessoa que fizer a denúncia não terá sua identidade divulgada se assim preferir, mas deve documentar o fato por escrito – isso não pode ser feito por telefone, por exemplo. A CDA recebe a denúncia e abre um processo para averiguar o caso, enviando um engenheiro agrônomo ao local indicado.

Além disso, o Governo do Estado fará um monitoramento detalhado de cada grama de defensivos agrícolas vendido em território paulista. O controle será executado pela CDA da Pasta, por meio do sistema eletrônico Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave). O objetivo é impedir o comércio e o uso de produtos ilegais, que podem causar danos ao meio ambiente e a quem os aplica (saiba mais aqui).

Controle biológico
O secretário de Agricultura ressaltou também a importância da pesquisa para o desenvolvimento do controle biológico na agricultura brasileira. O titular da Pasta lembrou que o Governo Paulista investe cada dia mais na geração do conhecimento, com iniciativas de referência sendo desenvolvidas pela Pasta que busca a produção agropecuária em sintonia com o meio ambiente.

O controle biológico utiliza a própria natureza para combater pragas como, por exemplo, o ácaro predador que se alimenta do ácaro rajado. É uma alternativa viável para quem não quer usar produtos químicos ou quer complementar os dois tipos para aplicação na lavoura.

Uma das iniciativas mais recentes da Secretaria é a fabricação de predadores do ácaro rajado, em Arujá, como forma de conter a praga em flores (saiba mais aqui). A iniciativa foi levada pelo IB para o município paulista e está sendo executada pela Associação dos Floricultores da Região da Via Dutra (Aflord).

Trabalho dos pesquisadores Mario Eidi Sato e Harumi Hojo, o controle biológico em ácaros rajados usa exemplares predadores da família Phytoseiidae.

Para o pesquisador da Secretaria, que atua no Instituto Biológico, Mario Sato “os acaricidas hoje já não funcionam bem para o controle da praga em várias culturas”, sendo o controle biológico mais eficaz e ambientalmente sustentável para mais de mil espécies de plantas.

Evento internacional
O Biocontrol Latam 2016 – Conference & Exibition é considerado o maior e mais importante evento internacional do segmento. Com a participação dos maiores especialistas mundiais da indústria de defensivos biológicos para o agronegócio, será realizado até o 17 de novembro.

A conferência atraiu a atenção de agrônomos, cientistas, produtores rurais, consultores, institutos de pesquisa, fornecedores e distribuidores de produtos biológicos, traders, acadêmicos, agentes governamentais, representantes de cooperativas, investidores de risco, executivos do setor financeiro, prestadores de serviço e demais profissionais ligados ao mercado de biodefensivos.

Para os promotores e organizadores do encontro, um dos principais objetivos da conferência será contribuir para a disseminação de conhecimento e de uma melhor compreensão do papel e do uso das soluções de controle biológico na agricultura.

ANDEF. Avenida Roque Petroni Júnior, 850 . 19º andar . Torre Jaceru . Jardim das Acácias . CEP: 04707-000 . Tel.: 55 (11) 3087-5033 - (Mapa) Desenvolvido por UAU!LINE.